Por dentro

#RevistaPI #UniEmCasa #jornalismo
Edição 53 da revista Primeira Impressão é lançada em evento online
“Alunos e professores contaram sobre a experiência de produzir de maneira remota, pela primeira vez na sua história, uma edição da PI”
Tynan Barcelos


Na noite de segunda-feira, dia 6 de julho, alunos, professores e convidados prestigiaram o lançamento da edição 53 da revista Primeira Impressão, que já está disponível na web neste link. Em evento transmitido pelo Teams, plataforma de videoconferências, os responsáveis pela produção da edição deram depoimentos sobre os desafios e aspectos, tanto gráficos quanto editoriais, que enfrentaram ao produzir uma publicação jornalística impressa de forma totalmente remota.

Embora o tema desta edição seja “último”, é a primeira vez que a PI, como é conhecida, é realizada de forma não presencial, em sala de aula. “Essa revista deixa um enorme legado. O legado da nossa adaptação à mudanças e o de seguir em frente encontrando boas histórias”, definiu assim o professor e também coordenador do curso Jornalismo (campus de São Leopoldo), Micael Behs, sobre a importância desta edição histórica.

A partir de cima, da esquerda para a direita, Nikão Duarte, Renan Neves, Micael Behs e Marcelo Garcia: apesar da noite fria, o samba aqueceu o evento de lançamento da PI 53 (Foto: Tynan Barcelos)

Em clima de samba, o estudante Renan Silva Neves abriu o evento cantando músicas de autoria de Carlos Medina, figura histórica do carnaval de Porto Alegre. Medina foi tema da reportagem que Renan produziu para a revista. Na sequência, o jornalista Marcelo Garcia, responsável pelo projeto gráfico e diagramação da revista, exibiu todas as páginas, comentando sobre as características gráficas de cada matéria, incluindo os critérios e as escolhas feitas.

Por falar neles, os alunos são da disciplina de Jornalismo Literário. São eles: Emerson dos Santos, Fabrício Santos, Gabriela Stähler, Guilherme Pech, Isabelle Wrasse, João Pedro Chagas, Kellen Guaragni Dalbosco, Kévin Sganzerla, Letícia Guintani da Costa, Luana Ely Quintana, Mateus Friedrich, Renan Silva Neves e Saimon Bianchini. No lançamento virtual, os futuros jornalistas falaram um pouco de suas matérias, explicando sobre a experiência de apurar e escrever de casa. “No início foi um pouco assustador. Mas, como já tínhamos passado do processo de escolha e de aprovação da pauta, eu já estava em contato com as minhas fontes, o que facilitou”, comenta o aluno Emerson dos Santos, que ainda fala da sensação de estar perto e, ao mesmo tempo, longe das fontes, devido ao distanciamento social. Para o professor da disciplina, Luiz Antônio Nikão Duarte, a experiência trouxe novos aprendizados, tanto para os alunos quanto para o “fazer-jornalístico”: “Tomara que este aprendizado nos leve a fazer um jornalismo melhor. E, também, que isso nos leve a sermos pessoas melhores, através do jornalismo, com sua função importante de informação e de formação”, disse.

A redação não pode parar

Fazer jornalismo em tempos de distanciamento social, devido à pandemia, tem suas limitações. Porém, o curso de Jornalismo da Unisinos, mesmo com todas as dificuldades, seguiu com seus projetos jornalísticos impressos neste primeiro semestre de 2020. Além da edição 53 da revista Primeira Impressão, recentemente foi lançado a edição 8 do Enfoque Ocupação Justo e a edição 33 do Babélia. Todos projetos podem ser conferidos neste link. Nas próximas semanas, serão lançadas ainda a edição 14 do jornal Lupa e a edição 4 da revista Josefa.

Mais recentes