Ação sobre representatividade LGBTQ ocorre na Unisinos nesta quarta-feira - Portal da Indústria Criativa


Ação sobre representatividade LGBTQ ocorre na Unisinos nesta quarta-feira

Estudantes da disciplina Ambientação e Realização de Eventos do curso de Relações Públicas são os responsáveis pela organização

Postado em: 06/11/2017
Por: Thamyres Thomazini

Nesta quarta-feira (8), os alunos da disciplina acadêmica Ambientação e Realização de eventos, do curso de Relações Públicas, farão uma intervenção performática em frente ao DCE, no intervalo das aulas. O evento denominado “Liberte-se” visa provocar um debate sobre a representatividade LGBTQ e contará com atrações surpresas. A ideia foi pensada com a expressão e hashtag “#pode sim!”, que incentiva a liberdade de ser o que quiser dentro dos espaços públicos e trabalha a ideia das relações de gênero e sexualidade dentro da universidade.

A atividade inclui a organização de uma ação dentro da universidade. Annanda Werb, aluna do 7º semestre e integrante da turma, explica que os estudantes pensaram em desenvolver uma ideia voltada a responsabilidade social e levantar a questão da liberdade de gênero. Grande parte das ideias surgiram de experiências pessoais de cada um, e como turma essa é a primeira vez que realizam um evento para toda a Unisinos.  “Abordamos como tema em evidência os LGBTQ, mas o evento vai além disso, é sobre amor e sobre a liberdade”, diz Annanda.

Debater sobre representatividade, violência de gênero, liberdade de expressão e sexual em espaços públicos e privados são grandes responsabilidades e a turma encarregada pela ação está esperando que o resultado seja dos melhores. “A receptividade do pessoal ainda é algo que estamos ansiosos e empolgados para descobrir. Nosso propósito é trazer para dentro dos espaços da universidade a abertura de um canal para debater temas como esse, que julgamos ter pouco engajamento e abertura.  Na universidade é onde a gente ainda tá formando quem pretende ser, sabe? É importantíssimo trazer esses assuntos pra esse meio”, expõe a estudante Annanda Werb.

 

Redes Sociais