Por dentro

#centrobrasildesign #dedesigndeproduto10anos #designdeproduto #designforabetterworld #dianacionaldodesign
Design para um mundo melhor
"Em comemoração aos 10 anos da graduação em Design de Produto, o curso promoveu a palestra "Design for a Better World", apresentada pela diretora superintendente do Centro Brasil Design, Letícia Castro"
Karolina Kraemer


O ano de 2021 marca os 10 anos da graduação em Design de Produto da Unisinos. O curso tecnólogo nasceu para ampliar as ofertas da Universidade na área de design, trabalhando com um currículo específico. Desde 2011, já se formaram 60 alunos. “Essa é uma marca importante, porque o curso é mais focado em materiais, processos e tecnologias no universo do design de produto”, comemora o coordenador, André Canal Marques

O professor explica que a graduação surgiu com foco em sustentabilidade e na ideia de “aprender fazendo”, estimulando os alunos a colocar em prática tudo o que aprendiam em sala de aula. “Um dos fatos marcantes desses 10 anos foi ter muitas organizações parceiras. Nós tivemos viagens para visitas técnicas e apresentações de projetos a empresas que, a partir da ideia de um aluno, foram levadas adiante”, destaca André.

Carlo Franzato, decano da Escola da Indústria Criativa da Unisinos, conta que o trabalho desenvolvido logo no começo tinha grandes diferenciais, como apostar na sustentabilidade, mesmo em tempos em que ainda não se falava muito sobre o assunto. “Essa foi uma questão importante de ter sido colocada em nossas práticas, uma visão que, de alguma forma, conseguiu antever o que aconteceria logo depois no panorama do design”, avalia o professor. 

Para o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Design da Unisinos, Guilherme Meyer, esse momento de comemoração pelos 10 anos do curso de Design de Produto serve para rever tudo o que foi feito, avaliar os êxitos e projetar o que se quer para o futuro. “Eu quero parabenizar a dedicação de todos os envolvidos. Acho que é um momento realmente importante de se destacar, especialmente nesses tempos de crise, porque é um curso que consegue se manter e se transformar”, sublinha Guilherme.

André destaca que o curso vive atualmente uma mudança de pensamento frente às novas possibilidades. “O futuro é estar cada vez mais conectado com isso, com o que vai mudar na indústria e no consumo de produtos. Assim, o aluno tem que ser um bom questionador, manter aquele olhar de criança, dos muitos porquês das coisas”, projeta.

Como melhorar a vida das pessoas

A comemoração do aniversário ocorreu em 5 de novembro, Dia Nacional do Design. De forma online, via Teams, os estudantes conferiram o evento “Design for a Better World”, apresentado pela diretora superintendente do Centro Brasil Design, Letícia Castro.


Letícia Castro falou sobre como o design pode contribuir para
o desenvolvimento de um mundo melhor 
(Foto: Reprodução YouTube/Centro Brasil Design)

A interpretação do design como solução sustentável para problemas sociais foi uma das discussões visadas pela organização do evento. “Como o Centro Brasil Design é um hub que trabalha com design de inovação, pensamos em aproveitar a bagagem que a Letícia tem nesse tema e falar dessa conexão entre design e sociedade, de como ele pode agregar como elemento para melhorar a vida das pessoas”, observa André.

O Centro Brasil Design, como explicou Letícia, atua como um conector entre empresas e o mercado de design, articulando a conversa de empresários com designers. “Nós promovemos e empoderamos os profissionais e mostramos para os empresários o quanto o design pode ser uma ferramenta estratégica”, esclareceu a palestrante. 

Letícia falou sobre a importância de fomentar o design para a resolução de problemas, sejam eles complexos ou do dia a dia, uma vez que isso impulsiona a inovação que olha, em primeiro lugar, para a necessidade das pessoas. “A humanização que o design tem e pode trazer é um dos fatores mais importantes quando a gente fala em design para um mundo melhor”, apontou. 

Como essa contribuição pode acontecer? “Não negligenciando a sustentabilidade”, defende Letícia. Para ela, é preciso haver a conscientização sobre a criação de produtos mais adequados, pensando nas formas corretas de descarte, em processos que gerem menos consequências ao meio ambiente, como a reutilização de materiais, assim como redução da energia utilizada na fabricação. 

Participar de premiações na área é importante

Durante a palestra, uma das maiores provocações que Letícia fez aos ouvintes foi sobre a urgência da busca por espaços para o Brasil nas premiações internacionais. Afinal, segundo ela, essa é uma maneira de visibilizar o debate sobre design para um mundo melhor e mostrar que os designers são capazes de fazer a diferença da sociedade. 

A palestrante apresentou uma série de premiações, nacionais e internacionais, que trabalham com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. O Design for a Better World Award, do próprio Centro Brasil de Design, é uma delas. A ideia do prêmio é mostrar iniciativas de impacto positivo que contribuam para um mundo melhor. Letícia falou, também, sobre premiações de design para estudantes, como o iF DESIGN TALENT AWARD e o Taiwan International Student Design Competition.

“A gente percebe que os estudantes ainda têm medo de participar das premiações, mas não tem porque. Quando nos colocamos em uma avaliação global, estamos em busca de nos tornar melhores. Elas trazem aprendizados e podem ser um trampolim para os alunos entrarem no mercado”, salientou Letícia.  

A palestrante explicou que as premiações estão cada vez mais olhando para o impacto social das iniciativas, algo que tem sido muito bem visto em projetos premiados nas competições. “Os prêmios não são supérfluos. Eles são importantes porque nos ajudam a entender regras e valorizar experiências dessas vivências”, apontou Letícia. Segundo ela, entidades organizadoras já estão dando feedbacks para os inscritos entenderem como podem melhorar. “Acima de tudo, assumir o risco de perder para poder aprender e, se ganhar, é só o começo de muitas oportunidades”.

Aprendizado e gratidão

Participaram também do evento os professores Roberto Faller e Giulio Palmitessa, que, juntamente com André Marques, foram os responsáveis pela criação do curso de Design de Produto. A dupla, que não está no Brasil, enviaram seus vídeos diretamente dos Estados Unidos e da Itália, respectivamente, expressando seus agradecimentos e felicitações.

“O processo de criação e regulamentação do curso, com as primeiras turmas, trocas e conversas com os professores, foi um período de muito aprendizado para mim, e eu sou muito grato por ter tido essa oportunidade”, revelou Roberto. O sentimento é dividido por Giulio: “Foram maravilhosos 10 anos juntos, onde superamos diversos desafios. Quero agradecer a todos pela bela contribuição nessa década de muito sucesso e algumas dores de cabeça, claro”, disse o professor. 


Saiba mais

Você pode conhecer mais sobre o curso de Design de Produto clicando neste vídeo aqui. Para se manter informado sobre as atualizações e últimos acontecimentos da graduação, siga-a no Instagram: @designproduto.unisinos.

Mais recentes