Deu certo

#cultura #empreender #jornalismo #Podcast
Bárbara dos Anjos: mais leveza na podosfera
“A gaúcha é uma das mulheres mais ouvidas no mundo dos podcasts. Conselhos amorosos são sua especialidade!”
Gabriela Stahler

Se você é fã de podcasts já deve ter ouvido o sotaque gaúcho de Bárbara dos Anjos Lima, de 37 anos. A jornalista é reconhecida por indicar boas séries e pela simpatia e delicadeza na hora de ajudar os ouvintes com problemas pessoais. Sua voz é ouvida toda semana no “Estamos Bem?” e ocasionalmente no podcast “Um Milkshake chamado Wanda”.

Bárbara é de Porto Alegre (RS), se formou em Jornalismo pela Unisinos (até estagiou na Agexcom!) e hoje mora em São Paulo com o marido Marcos e a filha Beatriz. Ela aparece duas vezes na lista de top dez podcasts mais ouvidos com mulheres no elenco, segundo o Spotify. O ranking foi divulgado no dia 8 de março de 2019.

Os podcasts com a presença de Bárbara são o “Um Milkshake Chamado Wanda” (1º lugar) e o “Estamos Bem?” (7º lugar). No primeiro, a jornalista participa eventualmente como convidada. Já o podcast “Estamos Bem?” é comandado por ela e por Thiago Teodoro, também jornalista. Ambos os programas são semanais e contam com ouvintes engajados nas redes sociais.

Enquanto o “Wanda” fala sobre novidades no mundo do entretenimento, o “Estamos Bem?” se propõe a ajudar o público a lidar com dificuldades emocionais destes tempos: amizades, relacionamentos amorosos e o momento de buscar terapia são assuntos recorrentes do programa de Bárbara e Thiago.

A cada episódio é lançado um desafio: para que os ouvintes entrem no clima  do tema da semana, é criada uma hashtag oficial nas redes sociais. No episódio de 25 de março de 2019, por exemplo, o assunto era os relacionamentos amorosos. Os ouvintes foram convidados a compartilhar fotos com a pessoa amada, usando a hashtag #estamosbemapaixonados.

O programa tem um quadro em que a dupla lê casos de ouvintes e ajuda nas questões relacionadas ao tema da semana. Os dois falam de suas vivências e dão pitacos sobre a vida pessoal de quem pede um conselho: é o “Não Estamos Bem”. Livros e opções de entretenimento também são recomendados por Bárbara e Thiago. O tom é sempre de leveza, para melhorar o astral das pessoas. É uma boa dica para quem quer aumentar a lista de séries para assistir! Continue lendo para conferir a conversa que tivemos com a Bárbara sobre esse projeto.

 

É possível ter um podcast como projeto paralelo?

Bárbara leva os podcasts como um trabalho paralelo, pois os programas ainda não geram renda. Sua atividade principal é no núcleo LifeStyle Digital da Abril, como editora-chefe nos sites das marcas Bebê.com.br e Boa Forma. Ela está na empresa desde 2006 e começou como freelancer, passando pelo cargo de repórter, editora-assistente e depois editora-chefe.

O primeiro episódio do “Estamos Bem?” foi ao ar em setembro de 2018, tratando sobre amizade, inspirado na relação entre Bárbara e Thiago. A partir de então, são lançados novos episódios todas as segundas, em diversas plataformas gratuitas de áudio.

Bárbara e Thiago no estúdio do Papel Pop gravando o “Estamos Bem?”. Foto: Reprodução

Como montar uma boa equipe para podcasts?

 O “Estamos Bem?” surgiu das conversas que Bárbara tinha com Thiago, seu colega de redação na Abril e melhor amigo há dez anos. “Nós somos jornalistas e a gente sempre quis fazer um projeto pessoal juntos. Nós somos produtores de conteúdo e jornalistas como modo de ganhar a vida. Foi uma coisa muito natural”, conta. O tema do podcast é algo que os dois têm em comum: o gosto pelos assuntos relacionados a estilo de vida.

Thiago também participa com frequência do podcast “Um Milkshake Chamado Wanda”. Os apresentadores do programa são Phelipe Cruz, Marina Santa Helena e Samir Duarte. Phelipe foi colega de Bárbara e Thiago na Abril, atuando na Capricho antes de abrir o site Papel Pop. É no escritório do site que as gravações do “Estamos Bem?” acontecem, contando com o auxílio de Felipe Dantas, redator e editor do Papel Pop. “Eles são nossos padrinhos mágicos. Quem tem amigos tem tudo”, brinca Bárbara.

Bárbara e Thiago, do Estamos Bem?, com Phelipe, Marina e Samir do “Wanda”

Qual é o primeiro passo?

Primeiro é preciso ver se a sua ideia de podcast já não está sendo colocada em prática. “A gente recebeu muito incentivo dos ouvintes do “Wanda” para a gente ter o nosso próprio programa”, lembra. Porém, ela conta que eles não queriam entrar no mesmo escopo, porque admiram o trabalho dos colegas e não gostariam que um competisse com o outro.

O primeiro passo para quem deseja ser um podcaster é ter uma boa ideia de programa. Já estão surgindo diversos projetos e Bárbara considera que 2019 está sendo o ano dos podcasts. Ela acredita que depois irá haver uma divisão, ficando somente o que “vingar” entre os ouvintes.

Depois, é preciso pensar nas questões técnicas, como o local de gravação, a qualidade de áudio e a edição. Gravar em um estúdio de uma empresa parceira, como acontece com podcast “Estamos Bem?”, é uma boa opção para quem está começando.

Como criar um público?

Mais de 2 mil fãs do podcast “Estamos Bem?”, ou “benzinhos”, discutem os episódios e outros assuntos relacionados em um grupo do Facebook. É lá que os podcasters divulgam os temas dos próximos programas e pegam depoimentos dos ouvintes para debater na gravação, além de receberem casos por e-mail.

O maior meio de propagação do podcast são as redes sociais. Eles usam as páginas dedicadas ao projeto e também os perfis pessoais. “A gente faz questão de estimular o diálogo com os ouvintes e pedir para eles divulgarem e tem dado bastante certo, a gente tem crescido a cada episódio”, relata.

“A gente tem nosso perfil no Instagram, no Twitter e temos uma comunidade fechada no Facebook. A gente trabalha nesse grupo. Focamos muito em compartilhamento nas redes sociais. Contamos com o Spotify que coloca a gente na página de entrada e o Itunes que coloca a gente nos destaques.”

Agora conte para nós: já tem uma ideia de podcast? Quer ver seu projeto aqui no Mescla? Deixe um comentário!

Mais recentes