Por um jornalismo Inovador, Inspirador e Independente - Portal da Indústria Criativa


Por um jornalismo Inovador, Inspirador e Independente

Festival movimentou a Unisinos Porto Alegre no último dia 22

Postado em: 24/09/2018
Por: Kellen Guaragni Dalbosco

Cerca de 120 pessoas, entre profissionais e estudantes de Jornalismo, prestigiaram o Festival 3i – Jornalismo Inovador, Inspirador e Independente, versão Porto Alegre. O evento, que teve a primeira edição em 2017, no Rio de Janeiro, é uma realização de oito organizações jornalísticas independentes: Agência Lupa, Agência Pública, BRIO Hunter, JOTA, Nexo, Nova Escola, Ponte Jornalismo e Repórter Brasil, além de contar com a parceria da Google News Initiative 

Na versão pocket, sediada pela Unisinos Porto Alegre, três mesas discutiram como é possível inovar na cobertura das eleições fugindo dos métodos tradicionais. Sob os títulos “Os santinhos: o que investigar, como investigar?”, “Corpo a corpo: como novos eixos e perspectivas de cobertura podem renovar a agenda eleitoral?” e “Temos um vencedor: e agora, jornalismo?”, os debates reuniram desde representantes da imprensa tradicional, como o jornal O Globo, a veículos independentes, como o The Intercept Brasil 

As mesas seguiram uma linha crescente de acontecimentos nas eleições, o antes, o durante e o depois do resultado das urnas. A primeira mesa, “Os santinhos: o que investigar, como investigar?”, centrou-se no debate investigativo das eleições, buscando mostrar iniciativas inovadoras na área. Os integrantes Leandro Demori, editor-executivo do The Intercept Brasil, Taís Seibt, co-fundadora do Filtro Fact-Checking e Francisco Leali, coordenador da sucursal de Brasília do jornal O Globo, apresentaram-se sobre a mediação de Breno Costa, da BRIO 

Alguns dos integrantes das mesas de debate | Foto: Reprodução Facebook Festival 3i

A seguir, a mesa “Corpo a corpo: como o jornalismo pode renovar a agenda eleitoral”, foi integrada pelas convidadas Rosane Borges, doutora em comunicação, da Universidade de São Paulo, Flavia Marreiro, editora do El País Brasil, e Geórgia Santos, do Portal Voz, com a mediação de Antônio Junião, da Ponte Jornalismo. Elas trouxeram exemplos de como abordar os temas de interesse público, mesmo estes sendo chamados de “espanta-votos” pelos candidatos. A mesa discutiu também temas como a neutralidade e a responsabilidade do jornalismo.  

A terceira mesa trouxe para o debate como inovar na cobertura jornalística depois de passadas as eleições. Sob o tema “Temos um vencedor: e agora, jornalismo?”, Alexandre de Santi, cofundador da Agência Fronteira, Sylvio Costa, diretor do Congresso em Foco, e Jineth Prieto, editora do La Silla Vacía, iniciativa colombiana, debateram o assunto sob a mediação de Moreno Osório, do Farol Jornalismo. 

Para ser possível inovar no jornalismo, de maneira geral, as mesas concordaram que é necessária uma autocrítica das instituições e, a partir de então, construir novas maneiras de atuar. Com uma pluralidade de vozes, o Festival 3i deixa Porto Alegre com o desafio de repensar a profissão. 

Para quem perdeu o evento, mas não quer ficar de fora do debate, os vídeos estão disponíveis no Facebook do Festival 3i.

Redes Sociais