Luísa Zottis Moraes - Portal da Indústria Criativa


Luísa Zottis Moraes

"Todas as experiências pelas quais passei certamente moldaram quem sou hoje"

Postado em: 13/04/2018
Por: Natan Cauduro

A jornalista Luísa Zottis conheceu o curso de Jornalismo da Unisinos muito antes de nascer. Ainda na barriga da mãe, percorreu salas de aula e até ouviu os ensinamentos dos professores. Depois do nascimento, assistiu à formatura da mãe, a jornalista Adriana Zottis. É um caso raro de amor à profissão transmitido desde muito cedo.  

“Nas fotos da formatura da minha mãe, tem um bebê rechonchudo, de um ano de idade. Esse bebê sou eu. Então, fui às aulas ainda na barriga dela”, brincou. Nascida em Porto Alegre e criada em Canoas, Luísa conta que sempre cultivou paixão pela língua portuguesa e por escrever. “São dois requisitos essenciais para quem está considerando seguir carreira em comunicação”, acrescentou a gaúcha.  

Desde pequena, Luísa cultivou interesse pela área da Indústria Criativa. Amor esse que se manifestava nas brincadeiras em casa e no incentivo da mãe, Adriana. “Criava histórias em quadrinhos, brincava de estilista e lia bastante. Gostava muito de ir à Feira do Livro, a exposições e ao teatro. Todas as experiências pelas quais tive oportunidade de passar certamente moldaram quem sou hoje, como pessoa e como profissional”, relembrou.   

Foto: Facebook/Reprodução

A relação com a internet começou cedo. Para ela, sua trajetória e o fato de ser uma millennial – como são chamados os nascidos entre o início dos anos 1980 e meados da década de 1990 – foram essenciais. Com 12 anos, criou seu primeiro blog. Aprendeu HTML sozinha e produzia seus próprios templates. Outro de seus interesses é o inglês. “Aos 13 anos, pedi para que a minha mãe me matriculasse na escola de idiomas. Ela não hesitou, e estudei por sete semestres até me formar”, contou. Luísa aprimorou seu inglês por meio de leitura – ela tem uma preferência pelos sites Forbes e Washington Post – e assiste a filmes e seriados em inglês. “Felizmente, agora não preciso mais de legenda”, brincou. 

Dentre as memórias dos tempos de universitária no curso de Jornalismo da Unisinos, que frequentou de 2009 a 2014, Luísa destaca as aulas preferidas: Redação Jornalística, ministrada pela professora Anelise Zanoni; Assessoria de Imprensa, com a professora Cybeli Moraes; e Mídia e Cultura, cadeira cuja professora era Jiani Bonin. Foi dessa aula, aliás, que surgiu o tema “identidade cultural”, utilizado no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dela.   

O exterior no horizonte 

Luísa, ainda estudante, foi estagiária da World Resources Institute Brasil (WRI), organização que atua em problemas de mobilidade urbana nas cidades brasileiras. Efetivada após formada, viajou por todo o país. Entrevistou líderes locais, entre eles os ex-prefeitos Fernando Haddad, de São Paulo, e Eduardo Paes, do Rio de Janeiro. Também encontrou figuras internacionais, como a diretora do Bloomberg Philanthropies, Kelly Larson, e o gestor de demanda de viagens da Steer Davies Gleave, Stuart Anderson. 

Hoje, com 26 anos e casada com o francês Benoit Colin, Luísa vive em Washington, nos Estados Unidos. A mudança, feita em 2015, foi ocasionada pelo relacionamento. O marido trabalha na capital americana, e a distância continental era um empecilho. A fluência em inglês pesou muito na decisão de Luísa em sair do Brasil. A família apoiou a escolha, mesmo sofrendo com a saudade.  

Foto: Facebook/Reprodução

A jovem jornalista largou o emprego no Brasil e foi em busca de oportunidades nos Estados Unidos. “Sabe quando a gente pensa que, por estar em um país diferente, não vai conseguir trabalho na área? Tive muita insegurança. Mesmo assim, mantive o foco na procura por vagas em comunicação. Todos os dias mandava pelo menos duas ou três inscrições para vagas no meu perfil. Em dois meses, recebi a proposta de emprego como analista de comunicação digital na Alliance to Save Energy“, contou.  

Luísa foi contratada pela Alliance, trabalhou lá por quase dois anos, como analista sênior da organização, que tem 25 funcionários. Redes sociais, websitesnewslettershot sites e projetos especiais fizeram parte de sua rotina na empresa. Em setembro de 2017, foi chamada pela The Brookings Institution, uma think tank internacional – instituição que realiza pesquisas nas mais variadas áreas relacionadas à sociedade e promove recomendações em políticas públicas – que supera a casa dos 500 funcionários. É coordenadora de mídias digitais. Além da estratégia digital, começou a trabalhar com relatórios, infográficos e vídeos.  

Luísa percebeu, com o tempo, que era uma brasileira vivendo em um país que adota políticas não favoráveis aos imigrantes. “Felizmente, nunca me senti prejudicada ou discriminada. Pelo contrário, desde que cheguei, sempre fui tratada de forma amigável e com muito profissionalismo”. O idioma é a maior barreira, segundo Luísa. “Em termos culturais, os americanos em geral são mais resguardados, e as relações no trabalho são estritamente profissionais”, avaliou.  

Contudo, também há diferenças positivas: “Aqui, os profissionais mais seniores encaram os jovens como grandes assets (funcionários jovens que são muito prezados) e valorizam sua opinião. No Brasil, não somos tão levados a sério”. Entretanto, um costume chama a atenção da jornalista: “Ninguém sai para o horário de almoço. Inclusive, reuniões são marcadas ao meio dia!” 

Foto: Facebook/Reprodução

Luísa Zottis na Unisinos

No dia 25, no miniauditório D02 216, no campus Unisinos São Leopoldo, Luísa Zottis apresentará a palestra “O desafio de trabalhar com mídias digitais nos Estados Unidos”, às 19h30min. Ela disse estar animada com seu retorno à Unisinos. “Quando eu ainda era aluna, a professora Anelise Zanoni organizou uma palestra com a jornalista gaúcha Larissa Roso, que atuou como repórter no Washington Post. Achei tão legal conhecer sua perspectiva que sugeri a possibilidade de também vir compartilhar a minha experiência com os alunos atuais”, relatou.  

Luísa Zottis deixou uma dica para futuros jornalistas que queiram se aventurar no jornalismo de mídias digitais: “Antes de começar a criar conteúdo digital, elabore uma estratégia. A primeira pergunta a fazer é ‘quem é o público que quero atingir?’ A partir daí, estabeleça sua voz”. 

Marcus Von Groll

Por Eduarda Bitencourt

Tiago Konrath

Por Eduarda Bitencourt

Natália Tussi

Por Natalia Collor
Redes Sociais